Como funciona?

Apesar de a maioria dos nossos clientes serem empresas, os particulares são, naturalmente, bem vindos se desejarem depositar os seus resíduos de madeira em qualquer um dos nossos centros.

Reciclar cada vez mais os resíduos de madeira domésticos (mobiliário usado, embalagens, restos de madeira de construção ou de reabilitações) é um objectivo estratégico para a Sonae Arauco, pelo que pretendemos incentivar todos os particulares a contribuir para preservar o meio ambiente, contactando-nos directamente ou utilizando os canais indirectos de que dispõem para fazer-nos chegar os seus resíduos de madeira.

Eco
centros

Para facilitar a recolha da madeira usada, é muito importante que se utilizem os ecocentros existentes, principalmente aqueles que garantam a adequada separação dos resíduos. A partir destes pontos de armazenagem, a madeira será enviada para destino adequado, nomeadamente para os centros de reciclagem próprios.

Recolhas
urbanas

Em muitos municípios, é possível contratar a recolha, porta a porta, de móveis e outros produtos usados de grandes dimensões. No entanto, é indispensável que todos colaboremos nesse esforço, os particulares separando adequadamente os materiais e os municípios assegurando o seu transporte para os destinos adequados para reciclagem.

Empresas
colaboradoras

As associações de empresas relacionadas com a madeira e em contato com particulares (fabricantes de cozinhas, portas, armários, instaladores de pisos de madeira, etc.)estão cada vez mais comprometidas com a preservação do meio ambiente e contribuem no processo de reciclagem retirando os restos de madeira dos seus clientes e levando-os para um ponto limpo (Ecocentro) ou para um recuperador.

O proceso de reciclagem

Tipologia de residuos de madeira

Costaneiros
Restos de madeira de forma e dimensões variadas que têm origem, principalmente, na indústria da serração.

Serrim e estilha
O serrim é constituído pelas partículas muito pequenas geradas nos processos de transformação e de corte. A estilha, constituída por partículas de maior dimensão, é, normalmente, gerada na fabricação de mobiliário e carpintaria.

Paletes
Plataformas de madeira que se empregam como base para transporte de mercadorias. As paletes partidas são um desperdício de toda a indústria.

Embalagens de madeira
Com as mais variadas dimensões, desde caixas para fruta até grandes caixotes para transporte de maquinaria. Os resíduos de embalagens pequenas são, normalmente, gerados nos mercados de alimentação e os de embalagens grandes nas mais variadas indústrias.

Móveis, portas, etc
Peças normalmente volumosas e pesadas com origem na renovação de mobiliário ou na reabilitação das casas.

Resíduos de construção e demolição
Restos de cofragens, tapumes, andaimes, pranchas, portas ou janelas, pavimentos.

Restos de poda
Ramos originados pela poda e manutenção de árvores nos parques urbanos e florestais.

Bobinas
Bobinas enroladoras de cabos ou mangueiras flexíveis.

Destinos da madeira recuperada

O produto obtido nos centros de reciclagem é estilha de madeira, que se destina a diversos sectores:

Fabricação de aglomerado de partículas
Representa o principal destino da estilha obtida da reciclagem, tratando-se, do ponto de vista ambiental, de uma óptima solução. O aglomerado de partículas produzido pela Sonae Arauco incorpora, actualmente, mais de 40% deste tipo de estilha.

Produção de energia
Os resíduos de madeira não possíveis de reciclar podem ser utilizados como biomassa para produzir energia tanto eléctrica como térmica.

Fabricação de adubos
Resíduos de poda podem ser adequados para produção de adubos e correctores orgânicos